A pandemia em ficção em antologia da Páginas

A ficção se apropria da pandemia, principal episódio da vida real de 2020. Treze autores constroem histórias do período tenebroso que assola este ano, no livro “Contos, contas e surtos da pandemia”. A obra será lançada no próximo dia 26 de novembro, às 19h, durante LIVE no perfil do Instagram da Páginas Editora @paginas_editora, e disponibilizada em seguida no canal do YouTube da editora. Os autores participação do encontro virtual.


A experiência ímpar da quarentena imposta pelo coronavírus trouxe histórias inusitadas, algumas apavorantes, outras renovadoras ou até mesmo leves, nesta edição ficcional da Páginas Editora. O vírus que assume o lugar do executor, o isolamento de um escritor na cidade do Porto (Portugal), a zeladora de um prédio aprendendo a conhecer os vizinhos pelos sapatos deixados nas portas, uma família que sucumbe, e outras histórias.


O livro "Contos, contas e surtos da pandemia" apresenta 13 narrativas ficcionais, algumas breves outras longas. Fazem parte do livro os autores: Anelito de Oliveira, Bel Araújo, Bruno Marques, Carlos Diamantino, Carolina Schettini, Cristiane Luz, Daiana Pasquim, Henrique German, José Carlos Aragão, Ivany Rocha, Leida Reis, Regina Boratto e Sandra Santos.


A autora Carolina Schettini mostrou o novo normal em seu conto, com o cotidiano de um casal preso num apartamento por causa da pandemia. “Um novo tempo traz bastante assunto para quem escreve” comentou a autora. O conto Solitude, do autor Bruno Marques, mostra notas de realidade fantástica, ambientado na cidade do Porto, segundo o autor “nos faz questionar sobre a falta de autonomia e de não sermos protagonistas da própria vida”.


No conto de Anelito de Oliveira, o acerto de contas coloca o vírus no caminho do matador. Já Regina Borattto apresenta um relato bem aprimorado de duas vizinhas que, sem se conhecerem, vão vendo suas vidas transformadas pela quarentena.


Conheça os contos

REENCONTRO - Anelito de Oliveira

“Vamos então nos encontrar no cemitério, no

túmulo de Rogéria.”

“Impossível. Ninguém pode mais entrar no cemitério. Interditado.”

“Porra! Vamos então nos encontrar no Bar do Betão!”

“Morreu também. Infarto. Mas foi jogado na conta do coronavírus. Sabe como tem sido.”

“Quando foi isso?”


O SACRIFÍCIO DE TRÊS OVOS E UM TOMATE PODRE POR UMA CAUSA NOBRE - Jose Carlos Aragão

"Enquanto lá fora o caos prosperava e o fim dos tempos vinha vindo, ela, quase egoísta, trancada em seu mundinho mais ou menos seguro, pedia cerveja, pizza e tudo que precisava por aplicativos."


QUARENTENA DE LOUCURA - Henrique German

"O novo ano de 2020 chegava carregado de esperança, prenhe das melhores expectativas de vida, de negócios e de estudos para cada um. O mês no litoral foi de sol e mar, de muito peixe, camarão e caipirinha. Foi um janeiro de bronzeado, de passeios e diversão, muita paquera e renovação de energias."


A VOZ DOS SAPATOS - Leida Reis

"Então eu subia pelo elevador de serviço e antes de começar a descida, fazendo a limpeza com o aspirador de pó e o rodo elétrico com a cera, fotografava com o celular os sapatos dos moradores do quinto andar. Desde a decretação do lockdown, o apartamento 501 emudeceu-se por completo. Não há sinal de vida na residência da senhora Inácia, não há qualquer calçado na porta. Acostumada a queixas de dores, alérgica a perfumes e odores de animais, compradora de remédios, sejam naturais ou alopatas, pela internet, a boa senhora enterrou-se em casa e não sai para absolutamente nada."


DESCOBERTAS NO ESPELHO - Regina Boratto

"Parecia mais uma quarta-feira, como tantas outras. Ao sair de casa naquela manhã, Ângela sentiu-se estranha. Acostumada ao burburinho da metrópole, naquele dia parecia ter despertado em terra estrangeira. Sem carros, buzinas e gente pelas calçadas. Andar pela rua quase deserta trazia uma sensação impossível de definir."


UM DIA, MAIS UM DIA, E OUTRO - Carolina Schettini

"Você não tinha programado tudo para ir àquela fazenda? Então, vamos. Não vou viajar desse jeito. Todo mundo está voltando a viajar, os parques estão abrindo, os voos estão até cheios. Não vejo a menor graça em sair por aí de más - cara, com medo de tocar em tudo. Eu tenho pânico de tocar em maçaneta! Em botão de elevador! Pensa!"


UM CADERNO PARA CHAMAR DE SEU - Cristiane Luz

"Um dia, seu marido chegou contando sobre mortes no Oriente. Um novo vírus foi descoberto lá. Não deu importância. Pouco tempo depois, João trazia novidades, o vírus estava fazendo um estrago enorme. Foi um piscar de olhos para esse mal chegar até aqui. Olívia e sua família perceberam a gravidade da situação. De repente, tudo fechado. O mercadinho permaneceu, a essencialidade da comida garantiu a sobrevivência do negócio. Precisaram organizar o trabalho, muitos pediam entrega."


CAMINHOS E DESVIOS - Sandra Santos

"Tudo começou a mudar de figura quando o coronavírus surgiu no mundo em janeiro de 2020. Ela tinha procurado uma doula na Alemanha, fez um plano de parto, escolheu as maternidades que atendiam aquilo que era mais importante para ela: uma assistência humanizada. "


SOLITUDE - Bruno Marques

"— Boa noite, garoto. Achei que você não viria me convidar para entrar — disse a velha de pele enrugada, com um tom de voz insolente e desafiador, como se eu não tivesse opção.

Por um instante, meus olhos inebriados não acreditaram, mas realmente havia uma velha na entrada e ela estava conversando comigo. Era tão real que eu respondi.

— O que a senhora está fazendo aqui? — perguntei com a voz trêmula e a garganta seca.

— Vim passar uns dias com você, meu jovem. Meu nome é Solitude — respondeu a velha com um sorriso cínico no rosto, de quem se auto convida."


AINDA TEM AQUELA VIAGEM - Carlos Diamantino

"Precisava acertar uma viagem internacional, mas depois de ouvir na televisão que muitos voos tinham sido cancelados em razão do novo corona - vírus, resolvi inteirar-me mais e mais do que realmente estava acontecendo no mundo no mês de março."


MUITO ALÉM DA MINHA VARANDA - Ivany Rocha

"Os fogos salpicavam ao longe, anunciando a entrada de um novo ano e de um novo século. As pessoas comemoravam eufóricas em todo o mundo. E eu ali quieta na minha sala, em frente à TV, apenas pensando. Naquela quietude em que me encontrava, fazia planos. Prometia para mim mesma que naquele ano as coisas seriam diferentes. Era um silêncio só! Os pensamentos iam longe. Os sonhos não podiam ficar paralisados. As festas passaram, janeiro veio cheio de chuvas torrenciais, deixando um rastro de destruição e de desespero. E a gente sequer poderia imaginar que tanta chuva não significava quase nada. O pior estava por vir."


CORAÇÃO IMPACTADO - Bel Araujo

"Infelizmente, a vida no planeta se alterou repentinamente com a chegada do novo coronavírus. A epidemia, que se espalhou por todos os continentes, países e cidades, assustou o ser humano e contaminou de velhos a crianças de todas as idades e classes sociais, aumentando a insegurança de todos nós. Uma insegurança invisível aos olhos, mas potente na circulação sanguínea."


RECORTES DE UM TEMPO - Daiana Pasquim

"Quatro paredes. Joana podia ouvir bem as risadas e gritos dos gêmeos brincando na sala. Este era o sétimo dia em que estava entre as quatro paredes, espiando só de longe o rosto dos filhos e as mãos do devotado marido que vinha lhe alcançar as refeições e outros entretenimentos, na ala Sul da casa."


Adquira o livro clicando aqui.


80 visualizações

© 2017 Páginas Editora